Paróquia São Francisco de Assis
 

PESQUISAR

Digite a palavra ou frase de seu interesse:
 

LITURGIA DIÁRIA

 

ACERVO

 

WEB TV

Web TV
 

DESTAQUES

 

FOTOS EM DESTAQUE

 
A Mensagem de Fátima e a penitência

 
Imagem
Saiba por que a Virgem Maria, na Mensagem de Fátima, insiste tanto em falar de penitência e de mudança de vida, para seus filhos.
A última parte da “Mensagem de Fátima”, chamada de “Terceiro Segredo”[1], mostra a visão de um Anjo, que diz: “Penitência, penitência, penitência!”[2] E, com a espada da ira divina, do castigo divino, este Anjo se volta para a Terra. Mas, Nossa Senhora, com o seu resplendor, impede que o castigo chegue a nós.

Não somente nas aparições de Fátima, mas em todas as suas aparições, a Virgem Maria insiste na penitência e na mudança do nosso comportamento. Esta Mãe bendita, esta Mãe querida, em todas as suas aparições, em todos os lugares: na Rue du Bac (Medalha Milagrosa), em La Salette, em Lourdes, em Fátima e em todas as outras aparições que pensarmos e imaginarmos, ela repete uma única coisa para ouvidos moucos, de seus filhos maus, de coração empedernido, que somos nós.

Por que Nossa Senhora veio pedir a penitência e a conversão?
Penitência quer dizer mudança de atitude, mudança do nosso coração. Penitência! “Se vocês se converterem…” Esta é a condição colocada por Nossa Senhora: “Se vocês mudarem de vida, se vocês fizerem penitência, não acontecerá o castigo, não virá o castigo”. Essa promessa é condicional.
Já faz um século que Nossa Senhora apareceu em Fátima e todo mundo fica preocupado em saber qual é o “segredo” que ela contou, que previsão ela fez a respeito do mundo e que castigos cairão sobre nós. No entanto, o que nos interessa saber que castigos cairão sobre nós, se a Mensagem dele não é para trazer castigo, mas para trazer mudança de vida e penitência? O castigo é condicional. Ela não veio para prever o futuro, como uma cartomante. Ela não veio ao mundo como alguém que, olhando para uma bola de cristal, diz o que acontecerá inexorável e irremediavelmente, sem conserto, com a humanidade.
A Virgem Maria veio para dizer para os seus filhos: “Se tomar desse veneno, você morrerá”. O que faz a humanidade? Em vez de se afastar do veneno, fazer penitência e mudar de vida, a humanidade pesquisa para saber que tipo de dores acontece com quem toma esse veneno, que tipo de torturas acontece com quem toma esse veneno, antes da morte. E se tomarmos o veneno aos poucos, será que o efeito é o mesmo? Mas, e se tomarmos algumas gotas de veneno por dia? Será que a morte virá mesmo assim?
O que somos nós? Loucos? Dementes? Surdos? Será que a maldade nos cegou o coração definitivamente? Nossa Senhora não veio prever o futuro. Ela veio dizer que seus filhos esqueceram dela e que não fazem penitência.
Em Fátima, Nossa Senhora apareceu durante uma guerra: a primeira grande Guerra Mundial. Na verdade, a guerra é única. A Segunda Guerra Mundial é um desdobramento da primeira. A própria Virgem Maria diz isso nas aparições: Se não fizerem penitência, virá uma segunda guerra, ainda pior[3]. E ela diz que essa guerra estava acontecendo por causa da maldade dos corações, da falta de conversão, da falta de penitência. Nossa Senhora disse claramente que as guerras que aconteceram durante o século XX, que findou e que boa parte de nós vivemos, são consequência de nossos pecados.
Façamos penitência, penitência, penitência! A Devoção Reparadora dos Primeiros Sábados, com a Comunhão, a Confissão, o Terço e os 15 minutos de meditação dos mistérios de Cristo tem essa finalidade: fazermos penitência e mudarmos de vida.
Os pecados que mais levam para o inferno
Qual é a razão de fazermos penitência? Qual é o pecado que nós mais precisamos nos arrepender? Existem vários, porém salientamos um, que Nossa Senhora, na sua bondade de Mãe, falou claramente com Jacinta, que será canonizada no dia 13 de Maio: “A maior parte das pessoas que se condena ao inferno, são condenadas pelos pecados de impureza”[4].
A impureza acontece, em primeiro lugar, no casamento. A maior parte das pessoas pensa assim: quando eu casar, estou livre da impureza. Vamos começar na raiz, que é a destruição da família. Ontem, dizíamos que o último combate será contra a família. Nossa Senhora, então, diz da impureza no casamento. Pois, o casamento é uma aliança entre um homem e uma mulher, que se unem para povoar este mundo e derramam o seu sangue para levar os seus filhos para o Céu. No entanto, hoje em dia, qual é o casamento em que se vê isso?
Na cabeça do homem moderno, o casamento é um alvará para fazer sexo e se divertir. O sexo não é para diversão. O sexo nos foi dado por Deus para colocar filhos, numerosos filhos, nesse mundo, derramar nosso sangue e levar nossos filhos para o Céu.
Se nós sanearmos a nossa visão de casamento, sanearemos também a vida de pureza de nossos filhos que ainda não se casaram. Mas, se não tocarmos na chaga, na ferida, naquilo que é a origem dos problemas, nada vai se curar. Se o sexo não é para levar filhos para o Céu, não é para colocar numerosos filhos neste mundo, mesmo que isso nos custe, mesmo que isso seja penoso, se o sexo não é para colocar numerosos filhos neste mundo e, com afinco, com heroísmo, com doação, com alegria, levá-los para o Céu, então o resto está justificado. Se sexo é diversão e não tem nada a ver com filhos, com numerosos filhos e levá-los para ao Céu, então, por que é que vamos proibir as pessoas de se divertir? Por que proibir a masturbação? Por que proibir a pornografia? Por que proibir o homossexualismo? Por que proibir o sexo antes do casamento? Por que proibir o divórcio e o adultério? O resto, toda a pletora de pecados contra a pureza, nasce exatamente do fato de que sexo não está mais ligado à família.

A ligação entre sexo e família
Quando as pessoas se confessam de algum pecado contra a pureza, seja por pensamentos, por olhares…, o meu “refrão”, a minha “antífona”, é sempre esta: “sexo é família”. Pense na família. Se somos solteiros, pensemos como gostaríamos que a nossa filha namorasse? Como gostaríamos que o nosso filho namorasse? Pensemos que sexo é família, filhos, e numerosos filhos, para Deus, no Céu.
As pessoas acham que entrarão no Céu tomando anticoncepcionais e matando seus próprios filhos. As pessoas acham que entrarão no Céu se, depois que fizeram ligadura de trompas ou vasectomia, não se confessaram e verdadeiramente não se arrependeram de tê-lo feito. Tudo isso transforma o santo e casto matrimônio num parque de diversões. E, com isso, no núcleo da sexualidade humana, que é a família e o santo matrimônio, degringola o resto. Como vamos então dizer aos nossos filhos que não façam sexo antes do casamento, se transformamos o sexo num parque de diversão? Como vamos barrar os nossos filhos de se prostituir, de se entregar a todo tipo de prazer, se sexo não tem mais nada a ver com a razão pela qual Deus criou o sexo, que é colocar filhos numerosos neste mundo, para então levá-los alegremente, com sacrifício, para o Céu?
Nós temos uma Mãe bendita que vem a este mundo e diz: “Filhos, eu quero ver-vos todos no Céu, e quero filhos numerosos, alegres e contentes comigo no Céu”. E, por isso, ela mostra aquela visão terrível do inferno, para não perder nenhum de seus filhos queridos, nenhum de seus filhos amados. Não olhemos para bolas de cristal para perscrutar o futuro. Olhemos para o nosso coração, que não é de cristal, mas é de pedra e não quer fazer penitência. Peçamos a Deus que nos dê a pureza da Virgem Maria, nos dê a pureza de Jacinta, nos dê a pureza daquelas três crianças. E que, se não podemos agradar a Deus na inocência, possamos fazê-lo na penitência.

Fonte: PADRE PAULO RICARDO. A Mensagem de Fátima, a penitência e a conversão.
 
 
Comentários: Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário!
Imprimir
Comentar

CADASTRAR-SE

Cadastre seu e-mail para receber nossas atualizações:
 

INFORMATIVO

 

NOTÍCIAS

 

WEB RÁDIO

Web Rádio
 

DESTAQUES

 

VÍDEO EM DESTAQUE

It was much more of an odd piece than a practically rolex replica sale useful one, and hence it had not received instant recognition or success. It has to be noted though that replica watches uk at the time of its creation in the middle of the 1950's intercontinental business trips were much less common than rolex replica sale they are today, which rendered this watch less desirable than its similarly expensive counterparts which were equipped with other useful complications as judged by contemporary standards. In any event the original Patek Philippe World Timer is a complicated piece unto itself. The ingenious world time disc-system was invented by Louis Cottier in 1931 was later replica watches implemented by Patek, Vacheron Constantin, Rolex, and others. As times have changed, not only did this complication rolex replica uk become one of the most popular useful functions, but the reference 2523 has also become much more appreciated among collectors, as seen by the seven figure prices these replica watches uk world timers consistently achieve at auctions.