Paróquia São Francisco de Assis
 

PESQUISAR

Digite a palavra ou frase de seu interesse:
 

LITURGIA DIÁRIA

 

ACERVO

 

WEB TV

Web TV
 

DESTAQUES

 

FOTOS EM DESTAQUE

 
A crise econômica pode afetar minha família?

 
Imagem
O Brasil, como todos sabem, está passando por um momento de crise econômica e política
Só se fala disso nos jornais e noticiários, nas conversas entre amigos, nas redes sociais e internet. Primeiramente, é preciso entender que não é um momento qualquer: estamos falando da maior crise econômica dos últimos 25 anos! Se confirmada as previsões dos economistas e especialistas em finanças, será a primeira vez, desde 1948, quando iniciou a série de medições do IBGE, que o Brasil viverá dois anos seguidos de recessão. Tomando esse pano de fundo, surge a questão: como toda essa crise pode afetar o casamento, a família e o lar dos brasileiros? A crise econômica pode afetar o meu casamento? Como fica a relação do casal diante das dificuldades financeiras?

Falar sobre economia é tratar de números e projeções. Já o casamento é uma questão mais profunda, e não pode ser generalizado. Cada família, cada casal, tem o seu modo próprio de lidar com situações adversas e dificuldades como as que se vivem hoje, dada a crise econômica. Dito isso, é preciso verificar alguns pontos que podem contribuir para enfrentar melhor a situação, como a perda de emprego, a redução do dinheiro no bolso devido à inflação que corrói os salários e a dificuldade para conseguir crédito com juros mais altos e aumento de impostos. Diante desse cenário, algumas dicas são valiosas para o casal enfrentar bem a crise financeira.

Diálogo financeiro do casal
Onde estamos financeiramente? Onde queremos chegar? Quais as fontes de desentendimento financeiro entre nós? Quais gastos são desnecessários hoje? Qual o valor total de nossa dívida? São perguntas importantes a serem feitas. O casal precisa dialogar constantemente sobre a questão/situação financeira. Pode não ser agradável para alguns falar sobre dívidas, salários, gastos e investimentos, mas é uma conversa que não pode ser adiada. No entanto, é preciso escolher o melhor momento para fazê-lo, como um dia tranquilo, com tempo suficiente, em local reservado ao casal, para que a questão financeira não seja afetada por fatores externos. É preciso pensar como casal. Estamos nos deixando levar pelo consumismo? Realmente precisamos comprar isso?

“Quem não pensa é pensado pelos outros.” (Sócrates)
Muitos casais acabam por falar, muitas vezes, durante o corre-corre do dia a dia, sobre finanças, mas nunca chegam a um ponto comum. Falam o tempo todo, mas não se sentam à mesa, com uma planilha eletrônica, caderno ou aplicativo de celular, para apontar tudo de uma só vez. É melhor sentar e falar tudo, ouvir tudo um do outro, do que passar meses com conversas financeiras pela metade. Uma conversa madura e pontual, sem acusações mútuas e com a realidade financeira no papel (ou no laptop), pode evitar desentendimentos. Quando se coloca tudo no papel (ou na planilha), o alvo passa a ser os números, e não o cônjuge. Isso ajuda muito a mostrar que ambos estão do mesmo lado, e não um contra o outro. O desafio está logo à frente, posto a mesa, e pode ser vencido!

Após dialogar sobre finanças, pontualizar (e muitas vezes pedir perdão), chega-se o momento de fazer planos.

O Futuro do Casal e da Família: Onde queremos chegar?
Onde queremos chegar em 3 meses, 6 meses, 1 ano, 5 anos, 10 anos…? Sem metas nem objetivos, o casal pode andar em círculos e se desgastar. Quantos anos temos até a aposentadoria? Temos uma reserva para emergências? Que futuro podemos dar aos nossos filhos? Santo Inácio de Loyola escreve: “Age como se tudo dependesse de ti, mas consciente de que na realidade tudo depende de Deus”.

Confiança em Deus
Para o casal, é imprescindível confiar em Deus e fazer a sua parte. A cada vitória financeira é preciso comemorar, mesmo que seja com algo que não custe nada. O importante é superar os desafios econômicos e fazer uso da situação para unir o casal. A crise financeira passará, e os casais e famílias que souberem conviver com ela equilibradamente, com diálogo e compreensão, colherão frutos de disciplina financeira e maior unidade. O que não nos destrói, torna-nos mais fortes.

Bruno Cunha
Economista
Especialista em Finanças Pessoais e Educação Financeira
Professor e diretor administrativo da Faculdade Canção Nova
Missionário Canção Nova
 
 
Comentários: Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário!
Imprimir
Comentar

CADASTRAR-SE

Cadastre seu e-mail para receber nossas atualizações:
 

INFORMATIVO

 

NOTÍCIAS

 

WEB RÁDIO

Web Rádio
 

DESTAQUES

 

VÍDEO EM DESTAQUE

It was much more of an odd piece than a practically rolex replica sale useful one, and hence it had not received instant recognition or success. It has to be noted though that replica watches uk at the time of its creation in the middle of the 1950's intercontinental business trips were much less common than rolex replica sale they are today, which rendered this watch less desirable than its similarly expensive counterparts which were equipped with other useful complications as judged by contemporary standards. In any event the original Patek Philippe World Timer is a complicated piece unto itself. The ingenious world time disc-system was invented by Louis Cottier in 1931 was later replica watches implemented by Patek, Vacheron Constantin, Rolex, and others. As times have changed, not only did this complication rolex replica uk become one of the most popular useful functions, but the reference 2523 has also become much more appreciated among collectors, as seen by the seven figure prices these replica watches uk world timers consistently achieve at auctions.